A agricultura deve ser agroecológica: 10 coisas que você precisa saber sobre a agroecologia

Escrito em 24 de novembro de 2021

Quando pensamos em agricultura e produção de alimentos, vem à mente o sistema que aparece na televisão e em outros espaços das mídias como a única forma possível: grandes máquinas, monocultura, uso de insumos químicos, tóxicos para fertilização dos solos e controle de pragas e sementes transgênicas.

Para mudar este cenário e o imaginário das pessoas, é preciso fomentar métodos de cultivo e produção ecológicos e sustentáveis em todos os sentidos, inclusive na alimentação.

Nessa perspectiva, para apresentar um outro modelo, que contemplasse várias dimensões da sustentabilidade, surgiu como ciência multidisciplinar a agroecologia. Esta prática adota conceitos e princípios da ecologia para a agricultura, com maior justiça social, viabilidade econômica, responsabilidade e preocupação com o meio ambiente e sua recuperação. 

Mas este termo não é novo: ele apareceu com maior força nos anos 1960, no auge dos debates e do estímulo a revolução verde. Então, no final dos anos 1970 houve a efetiva incorporação de práticas e elementos sociais capazes de estruturar modelos de cultivo mais justos, economicamente viáveis e ecologicamente sustentáveis.

Este processo de mudança na forma de cultivar se faz essencial, especialmente diante dos impactos dos processos agrícolas industriais, que são devastadores, e vão deste a deterioração em larga escala dos recursos naturais do planeta aos efeitos danosos à saúde humana.

Isso sem considerar, ainda, políticas econômicas que se limitam à exportação de commodities e dependência agroindustrial pelo uso de agrotóxicos e sementes geneticamente modificadas. É neste contexto que reafirmamos: a agricultura necessita ser agroecológica.     

Confira abaixo 10 coisas que você precisa saber sobreaagroecologia:  

  1. Essa prática é utilizada na agricultura familiar e camponesa e seus agentes atuam como guardiões da natureza e da produção agroecológica.
  2. Ela potencializa e aumenta a biodiversidade dos agroecossistemas, promovendo ambientes mais ricos e com maiores interações ecológicas.
  3. Além de incorporar manejos dos solos, águas e plantas, em uma perspectiva conservacionista da terra e de ciclagem de nutrientes e energia, diminuindo progressivamente o uso de agrotóxicos. 
  4. Ela utiliza-se de tecnologias adaptadas e adequadas a realidade camponesa, diminuindo a penosidade do trabalho das famílias agricultoras. 
  5. É livre de transgênicos.
  6. Essa prática incentiva a equidade de gênero em todas as instâncias, valorizando os conhecimentos individuais, o trabalho e a contribuição econômica das mulheres para a reprodução de uma vida plena e saudável.
  7. Inclui a juventude nos processos produtivos, reconhecendo-a como sujeito de conhecimentos e construtora dessa nova realidade. 
  8. Estimula e promove a cooperação como princípio básico da relação social de trabalho, consolidando este processo por meio de suas estruturas.
  9. É uma prática que garante a geração de renda para as famílias produtoras, dando sustentabilidade econômica a elas e a toda a cadeia produtiva, distribuindo renda e riqueza, retroalimentando processos e ciclos virtuosos.
  10. Garante a identidade cultural dos povos em suas manifestações diversas.

A agroecologia é feita de relações saudáveis que nutrem o mundo. De grão em grão agroecológico vamos plantar uma floresta capaz de alimentar a todas e todos.   

Escrito por Raízes do Campo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 1 =

Raízes do Campo

Avenida Angélica, 2133, sala 81 - Consolação
CEP 01227-200 São Paulo - SP
[email protected]
+55 11 3661-4878

JUNTOS NÓS NUTRIMOS O MUNDO.
SIGA-NOS TAMBÉM AQUI

© 2021 Todos os direitos reservados - Raízes do Campo | By Next4